terça-feira, 9 de abril de 2013

Do Âmago




Tento não ser boba
Não fazer promessas
Não planejar o amanhã
Tenho não ser tão clichê
Não romancear
Não me entregar tanto
Tento ser mais racional
Não esperar algo eterno
Não dar crença a tudo
Tento ter os pés no chão
Mas minha cabeça voa alto
E eleva todo o meu corpo
Tento ser mais realista
Mas o amor é surreal
Não dá para amar e ser normal

L.L.J.

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Uma história



O que me vem não sei
Sei do que já tenho
Sei do que eu quero
Quero que possa ser além

O que me vem não sei
Sei do que chegou
Cedo ou no tempo exato
E mesmo assim demorou

O que me vem não sei
Sei que já é intenso
Sei que é bom sentir
Sei que não sei  o que há de vir

O que me vem não sei
Sei que quero tudo
E não espero nada
Que cada dia siga a sua jornada

L.L.J.



sexta-feira, 8 de junho de 2012

Boas Vindas














Querida antes de ser,
Se fez vida e trouxe luz
Os teus passos que ainda nem são teus
Tecem paz nos meus caminhos
Sucessora do anjo amado
Guiada pela sua proteção
Consigo trazes segurança
Pois és regida pelo anjo Sião
Deus te regue de vida,
Deus te cubra de amor
Linda seja tua lida
Seja isenta da dor.

L.L.J.

domingo, 9 de outubro de 2011

Coisas que eu penso...

   


  Ultimamente acho que dormir é uma perca de tempo, não fosse a necessidade fisiológica que temos em descançar o corpo, optaria em não dormir nunca... Pois tanta coisa acontece enquanto os olhos piscam... Imagina então enquanto os olhos dormem?!
  Pudesse eu, dormiria apenas quando o dormir não fosse a efemeridade diária, pois deste dormir não efêmero, ninguém pode se privar, nem mesmo com uma grande caneca de um forte café!



L.L.J. 

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Utópico Persistente



Doce sensação, ilusória.
Doce era aquele caminhar a dois
Proporcionava sensações sublimes de que a felicidade existe e estava aqui...
Agradável sensação, porém ilusória
Ilusória ao ponto de cegar mesmo enxergando,
Doce sensação ilusória, tecida em falsas fantasias de felicidade...
Agora caminho só, me despi da alegria
Mas não quero que seja assim,
Quero a doce sensação de ser feliz
Caminhando eu vou, com a doce sensação de achar o rumo de mim.

Por: William Alves

sábado, 13 de agosto de 2011

Platônico




  Tenho a sensaçao de que nada será como poderia ter sido...
  Olho para mim mesma e vejo escorrer entre meus dedos algo que não mais terei.
  Eu quis querer,mas não quis e vi sua partida, e com você se foi nossa história não vivida.
  Apenas peço, lembre-se de mim,mesmo como um passado que não passou,ou passou antes de ser...E eu,lembro-me de ti,como um futuro que não chegou,mas será...seria....poderia ser...
 
  
L.L.J.






segunda-feira, 11 de julho de 2011

Pretérito Imperfeito


Não,não quero seu coração!
Seus afetos infundados,
Oferecendo sinceridade,
Vi tua insensibilidade...
Palavras?
De que me valem elas?
Se desprovida de sentimento estão?
Á procura da tua cura,encontrei minha loucura,
E agora? o que fazer?
Na insanidade de meus pensamentos,
Busco abster-me de você.
Adeus,adeus você...
Despeço-me friamente,pois é assim,
Só assim que irás entender a despedida.
O fim poderia doer menos,e você?será que sente?
A dor que sente é invenção,e tudo em você é ilusão
E você,será que pode me ouvir?você sente?
Agora,será que sente?
Quem sou eu,além da pefeição?
Tenho vida,sinto dor,eu tenho meus fantasmas...
Apenas quis te proteger,encobri-me por você.
E você?me entende?agora pode perceber?
Adeus palavras vãs,
Adeus sentiemntos infundados.

L.L.J.